top of page
  • Foto do escritorMari Mendes SocialMedia

Terra Madre Brasil II em Brasília

TERRA MADRE BRASIL II EM BRASÍLIA

19 a 22 de março 2010



Foi realizado no último final de semana em Brasília o II Terra Madre Brasil com a honrosa e imprescindível participação do idealista do movimento Slow Food no mundo, signore Carlo Petrini.


Vieram prestigiar o evento pessoas de todo o país, de todas as idades e também alguns estrangeiros (italianos, mexicanos, americanos, entre outros). Todos se comunicando através da linguagem slow.


Do Convivium São Paulo estavam presentes nossa líder Cenia Salles e muitos associados como o Chef Sauro, do restaurante Friccó, Claudia Mattos, Anayde Lima, do restaurante Julia, Maluh Barciotte, Fabiana Sanches, Ana Trajano, do restaurante Brasil a Gosto, Neide Rigo, Maria Helena Caldas, entre muitos outros, incluídos produtores slow do Estado de São Paulo.


A abertura oficial foi feita pela Coordenadora Geral Lia Poggio, pelos lideres dos convivium e produtores, seguido de um show com músicos brasileiros que falavam e cantavam as coisas boas da nossa terra.


Todos estavam atentos à programação que contou com muitos debates, oficinas, degustações e o melhor: trocas de experiências e muitos conhecimentos desse grande movimento que é o Slow Food Brasil! Ficou claro para todos da importância de produtores, acadêmicos e chefs de cozinha darem seu melhor nessa cadeia que visa uma alimentação mais saudável e respeitosa às tradições e ao alimento bom, limpo e justo.


Foi muito gostoso e gratificante participar do laboratório da mandioca com crianças das escolas de Brasília e sua jovem líder Dirah, da tribo indígena Guarani paulista. Nessa oficina, as crianças participaram ativamente e fizeram juntos o beijú da mandioca ralada na hora. Após, todos degustaram a delícia! No decorrer da oficina, muitas perguntas foram feitas e foi bonito ver o interesse e a brilhante coordenação da Teresa Coração, que tem um trabalho belíssimo de pesquisa, estudo e divulgação na causa da mandioca através do Instituto Maniva.


Houve também atividades em grupos para debater questões como “O que é ser um chef slow?” e “O que é ser ECO-CHEF?”, bem como uma programação intensa do movimento Slow Food na América Latina e das mais variadas atividades de cada região do Brasil.


Finalmente, não posso deixar de citar o Laboratório do Gosto, que acompanhei passo a passo, e cujo tema era o Cerrado. Houve uma aula prática e degustação do chef Francisco, do restaurante Dom Francisco, que nos apresentou uma receita de frango caipira ao molho de frutas do cerrado (feito com pequi – cagaita – murici). Uma delícia!!! Confira a receita abaixo:


Frango caipira o molho de: Pequi –Cagaita – Murici

Ingredientes:

1 frango caipira com cerca de dois quilos, com miúdos

3 cebolas média

6 dentes de alho

100g de alho poro

200ml de vinho branco seco

2 folhas de louro

Talos de salsinha

Talos de cebolinha

1 pedaço de salsão cortado ao meio

Pimenta do reino moída na hora

1 pedaço de pimenta dedo de moça

Alecrim fresco

1 pedaço de cúrcuma fresca ralado ou uma colher (chá) dela em pó

1 tablete de caldo de frango

Sal em pequena quantidade

2 colheres de azeite extra virgem


Preparo: Lave bem o frango com vinagre. Corte nas juntas, escalde rapidamente e escorra. Pique os temperos, alho, cebola, alho poro e alecrim, a grosso modo, exceto o salsão. Misture bem com os pedaços do frango, o vinho e coloque para marinar em recipiente de vidro, aço ou plástico na geladeira por 24 horas. Misture uma vez por outra.

Retire os pedaços de frango do molho, escorra e refogue lentamente em óleo com um pouco de azeite. Ajuste o sal durante a fritura. Coe o tempero e refogue a parte sólida, exceto o salsão, junto com o frango dourado. Coloque o salsão e o caldo aos poucos e deixe cozinhar em fogo baixo. Acrescente água ou caldo de frango. Retire o salsão e termine o cozimento com o caldo espesso.


MOLHOS (para cada frango inteiro, use 1 porção do molho escolhido)

Ingredientes: 200g de polpa de fruta escolhida ou ½ quilo dela madura (pequi, murici ou cagaita)

1 cebola

2 dentes de alho

1 pedaço da parte branca do alho poro (3 a 5cm)

Sal

Pimenta do reino branca

Salsão (só parte branca)

Um pouco de Ajinomoto

1 talo de erva doce

Temperos verdes frescos


Preparo: Bata no liquidificador os temperos e refogue sem dourar. Coloque um pouco de água e vá colocando aos poucos a polpa escolhida, deixando cozinhar. Experimente com freqüência até sentir que está no ponto de acidez desejada. Não deixe ficar muito ácido! Se ficar, pare com a polpa e corrija com cebola picada. Sirva o molho quente no fundo do prato sob o frango ou regue-o generosamente.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Yorumlar


bottom of page