• Chef. Ana Maria Tomazoni

#ArraialEmCasa - FESTAS JUNINAS NO BRASIL E O CUSCUZ

Atualizado: Jun 29

Ana Maria Ruiz Tomazoni

Chef de Cozinha - Educadora alimentar, pesquisadora – escritora - Mestre em gerontologia - Doutora em Educação, empresária Diretora e proprietária da Escola Sabor & Saber Gastronomia


CONFIRA NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE, AS RECEITAS COM O PASSO A PASSO:

https://youtu.be/bl-pJB0ML7c


Tradição – Cultura Memória


Existem duas explicações para o termo festa junina: A primeira explica que surgiu em função das festividades que ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que essa festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.

De acordo com historiadores, essa festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período do Brasil colônia de Portugal.



Nessa época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península


Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.

Todos esses elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.


Festas Juninas no Nordeste


Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.



Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércio e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas.


Comidas típicas


Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, curau, milho cozido, canjica, cuscuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos. Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bom-bocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais.


Nesse item de comidas típicas a memória gustativa não pode deixar de ser lembrada, pois é muito marcante em tudo o que a acompanha como uma grande riqueza da tradição de um povo, cheio de emoções e marcas de uma vida. Memorias gustativas são muito forte na vida do ser humano e que o diferencia dos outros animais.


CUSCUZ, VOCÊ SABIA?

Cuscuz é a massa de milho, pilada, temperada com sal, cozida ao vapor d’água e depois umedecida com leite de coco. Com ou sem açúcar. Era, outrora, de feitura caseira e presentemente industrializada, vendido pelo Brasil inteiro. Fazem-no também de mandioca (macaxeira-aipim),, arroz, inhame, mas o de milho é consumido numa proporção de 95%, cotidianamente.


Com manteiga, no café matinal ou da ceia ao anoitecer. Dissolvem no leite de vaca o cuscuz, sopinha gostosa e fácil. No sul há o cuscuz paulista e também o mineiro, com recheio de peixe desfiado, crustáceos, molho espesso de tomates, constituindo refeição substancial. Sempre de milho.


O cuscuz, kuz-kuz, alcuzcus, é prato nacional dos mouros n’África Setentrional, do Egito preparado a base de sêmola de trigo.

CUSCUS PAULISTA RÁPIDO



Ingredientes


1 colher (sopa) de azeite ou óleo

3 dentes de alho picado

1 cebola picada

500g de tomates picados ou molho de tomate caseiro

Temperos a gosto (orégano, salsinha, cebolinha, pimentas, tomilho)

½ xícara de ervilha frescas

1 xícara de chá milho verde

1 xícara de palmitos,

1 xícara de abobrinhas e outros vegetais variados.

1 xícara de cenoura ralada grossa

2 xícaras de água fervendo.

Outros temperos que gostar: noz moscada, pimenta dedo de moça, orégano, cominho etc.

250g de farinha de milho pré-cozido.

Opcional: Para um sabor diferenciado coloque 2 latas de sardinhas ou 2 xícaras de chá de frango cozido e desfiado e sal


Modo de Preparo

  1. Em panela grande coloque o azeite o alho, deixe amarelar, coloque a cebola, mexa por mais 2 minutos, junte os tomates ou molho de tomates, deixe ferver. Acrescente as ervilhas, milho, ervas picadas, os temperos e o sal. Se quiser... Neste momento coloque frango, ou outra proteína, coloque a água fervendo, misture muito bem com a farinha de milho. Misture e mexa por 7 a 10 minutos, tudo junto até soltar da panela.

  2. Em forma untada com azeite, decore com ovos cozidos, ervas, tomates cereja. Coloque a massa cozida.

  3. Deixe esfriar, um pouco para soltar da forma. Sirva frio ou quente.

CUSCUZ NORDESTINO



Ingredientes


200 g de farinha de milho flocado (próprio para cuscuz e bolos)

150g de água filtrada

1 colher de café de sal ou a gosto

Modo de Preparo


  1. Misture a água e sal e salpique toda a massa.

  2. Coloque em forma untada e asse no micro-ondas ou em panela de vapor por 7 a 10 minutos.



Entre em contato
arrow&v
Quais outros cursos te interessam?

Fique por dentro das novidades

Telefone: (11) 4121-5315

WhatsApp: (11) 98206-6713

Av. Senador Fláquer, 534 - Vila Euclides

São Bernardo do Campo - SP
09725-442

© 2023 por VIVENA Comunicação.