• Chef Ana Tomazoni

Bolo Rei é a pedida certa para este Natal por Ana Tomazoni - Gabriela Freitas

Com mais de 40 anos de experiência na produção de Bolo Rei e receita hereditária, a educadora e chef de cozinha Ana Tomazoni traz ao público uma receita tradicional de bolo festivo em forma redonda de coroa com resquícios portugueses e franceses. Para este Natal, a iguaria promete tornar a ceia ainda mais especial e saborosa, afinal, a época tem como símbolo união familiar.

“Minha mãe fazia para comer sempre no mês dezembro e inicio de janeiro, ela casou-se no dia 06 de Janeiro e tinha um carinho especial pelos três Reis Magos. A receita rende muito e congelávamos, mas para servir sempre aquecíamos e tomávamos no chá da tarde ou com café e sucos naturais, portanto é uma receita com história de família”, comentou Tomazoni.

Origem

O Bolo de Reis – Bolo Rei traz à tona origens e tradições familiares, Ana participou há alguns anos, junto com os netos australianos, da confecção deste bolo na casa de amigos das crianças, na qual os pais anfitriões eram franceses. “O ritual tinha atividade artística para as crianças que confeccionaram a coroa para colocar na cabeça, era feita com papel brilhante com música, poesia e oração aos Reis Magos para um ano próspero. Algo muito especial que passa de geração a geração”, contou.

A origem do bolo de reis remonta ao tempo dos festejos romanos de Saturnália. Estes tinham por hábito eleger o rei da festa, durante os banquetes comemorativos, o que era feito colocando uma fava seca (símbolo da fecundidade) numa doce torta redonda e aquele que achasse se convertia em rei da fava ou rei da festa.

O bolo de reis no seu formato atual surgiu na corte de Luís XIV, em França, nas festas do Ano Novo e do Dia de Reis. Em Portugal o bolo de reis popularizou-se no século XIX com uma receita Originária do sul de Loire, um bolo em forma de coroa feito de massa leveda. Tanto quanto se sabe, a primeira casa onde se vendeu em Portugal foi a Confeitaria Nacional, em Lisboa, por volta de 1869-1870. O responsável foi o afamado confeiteiro francês Gregoire (Gregório, como ficou conhecido), recrutado em Paris por Baltasar Rodrigues Castanheiro Júnior, que adaptaram e utilizaram uma receita trazida da capital francesa.

Aos poucos, outras confeitarias da cidade passaram também a fabricar o Bolo Rei, originando assim várias versões diferentes, até os dias atuais. Hoje há várias versões do bolo, não só na Europa como no Brasil, inclusive com tradições e culturas diferentes.


Que tal aproveitar o Natal para fazer o Bolo Rei?

Receita por Ana Tomazoni


BOLO REI (português)

Ingredientes:

  • 4 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo

  • 2 tabletes ou 2 colheres de sopa (do seco) (15g cada) de fermento biológico

  • 1 xícara (chá) de açúcar

  • 4 colheres (sopa) de leite

  • 5 ovos

  • 3 colheres (sopa) de vinho do Porto

  • 2 colheres (sopa) de casca de laranja ralada

  • 1/2 xícara (chá) de azeite de oliva ou óleo milho

  • 1/2 xícara (chá) de uva-passa sem sementes

  • 5 colheres (sopa) de castanhas do Brasil ou amêndoas picadas

  • 5 colheres (sopa) de nozes picadas

  • 5 colheres (sopa) de castanhas de caju

  • 1 xícara (chá) de frutas cristalizadas

  • 100 gramas de cerejas cristalizadas

  • 4 colheres (sopa) de açúcar confeiteiro

Modo de Preparo:

Em um recipiente grande, peneire a farinha de trigo e reserve. Em outra, misture o fermento e 3 colheres (sopa) de açúcar até obter uma pasta;

Misture o leite amornado e 4 colheres(sopa)de farinha de trigo;

Cubra com filme plástico e deixe crescer por 15 minutos. Em outro recipiente, coloque 4 ovos, o vinho do Porto e as raspas de laranja e bata rapidamente com um batedor manual; Reserve.

Em uma superfície lisa, coloque a farinha de trigo restante e faça uma cova uma cavidade no centro. Junte o azeite de oliva (reserve 1/2 colher de sopa) e o açúcar restante. Com a ponta dos dedos, misture até obter uma farofa;

Acrescente a massa crescida e misture. Aos poucos, junte os ovos batidos e sove a massa por 5 minutos. Adicione as uvas passas, as castanhas, as amêndoas, as nozes e metade das frutas cristalizadas. Misture delicadamente e cubra com filme plástico e deixe crescer por 1 hora;

Em seguida, modele a massa, formando um anel. Transfira a massa para uma assadeira de pizza com 30 cm de diâmetro, ou forma grande com anel central, untada com o azeite reservado. Deixe crescer por mais 30 minutos;

Ligue o forno à temperatura média, 170º.C;

Pincele um ovo batido e distribua sobre a massa o restante das frutas cristalizadas e as cerejas;

Pressione ligeiramente com os dedos e pincele toda a superfície com o ovo batido;

Leve o bolo ao forno por aproximadamente 40 minutos;

Retire do forno, desenforme ainda morno e disponha em um prato grande. Em seguida, polvilhe por cima o açúcar confeiteiro se preferir, no momento de servir coloque fios de ovos na parte central do bolo.

Vamos conversar?

Portal Big ABC: Ana há quanto tempo você produz o Bolo Rei?

Ana Tomazoni: “Faço essa receita há mais de 40 anos, minha mãe fazia para comer sempre no mês dezembro e inicio de janeiro, ela casou-se no dia 06 de Janeiro e tinha um carinho especial pelos três Reis Magos. A receita rende muito e congelávamos, mas para servir sempre aquecíamos e tomávamos no chá da tarde ou com café e sucos naturais, portanto é uma receita com história de família.”

Big ABC: Quais os desafios enfrentados durante a pandemia?

Tomazoni: “Falando em pandemia como todas as pessoas, foram dias difíceis sem saber o que ia acontecer, quanto tempo ia durar. Assim diariamente postávamos dicas, receitas e orientações culinária e de saúde, confira em nosso Blog Sabor e Sabor Gastronomia (quarentena). Além disso, tínhamos parado os treinamentos e aulas em outros estados do Brasil, mas conseguimos realizar boa parte deles.”

Big ABC: Quais as novidades e projeções para 2022?

Tomazoni: “Para 2022 muitos planos com cursos presenciais e online, retomada. Nosso diferencial no mercado com a escola são as práticas, o aluno realmente põe a mão na massa, faz tira suas duvidas e recria. Pretendo em 2022, retomar os trabalhos voluntários presenciais pois sou conselheira do CAE – Conselho de Alimentação Escolar de São Paulo – COMTUR – Conselho Municipal de Turismo de São Bernardo do Campo – COMSEA Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional – COZINHEIROS SEM FRONTEIRAS (viajando diversos estados brasileiros com treinamentos) e Comunidade Slow Food Grande ABC SP pela educação. O trabalho voluntário que tenho orgulho de fazer com aprendizado e muita gratidão à vida na missão de “Educar com Alimentos” atuando há mais de 40 anos na área da educação e alimentação. Pretendo continuar escrevendo e publicando muitos textos, sou pesquisadora da PUC SP (Tema Educação e Interdisciplinaridade) e UNIPSP (Gentileza como ciência). Beijinhos Ana Tomazoni”

57 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo